Cortador de cana achou carteira com 8 mil reais e devolveu: “Só quero o que é meu”

O cortador de cana-de-açúcar Odair José Ferreira, de 40 anos, conta que começou a ficar conhecido em Itapuranga, cidade do centro goiano onde mora. O trabalhador disse que tem sido parado na rua por desconhecidos curiosos após ter devolvido uma carteira que encontrou em uma praça da cidade “recheada” com R$ 8 mil. Em vídeo, ele recebe agradecimentos do empresário e dono do dinheiro, Anízio de Faria.

Publicidade

Segundo o trabalhador, muitas pessoas não acreditam na história e que tinha tanto dinheiro na carteira. Então, vão até ele para confirmar.

“Fico muito alegre. Jamais pensaria em ficar conhecido assim e por ser honesto. Minha vó me deu essa educação, só quero o que é meu”, afirmou.

<
Publicidade

“Estava indo esperar o ônibus no banco em baixo do pé de manga, era umas 5h. Daí vi a carteira lá em cima. Estava cheia de dinheiro, cheque. Fui olhar os documentos e era do Anízio (dono do supermercado ao lado)”, contou.

Carteira que foi achada por cortador de cana e devolvida ao dono — Foto: Arquivo pessoal/ Anízio de Faria

Anízio, que mora em frente ao próprio supermercado, foi acordado de madrugada “no grito” pelo cortador de cana.

“Eu gritei. Ele abriu a janela, e eu falei que a carteira dele estava ali fora. No começo ele não acreditou, mas eu insisti: ‘Estou falando sério. E ele veio pegar. Logo o ônibus chegou e tive que ir para o trabalho”, completou.

Publicidade

Anízio contou que esqueceu a carteira no local no fim da tarde do dia anterior e não teve tempo nem de sentir falta. Ele também reconheceu a sorte que teve de ela ter sido encontrada por uma pessoa honesta como Odair.

“Eu acho que é raro uma coisa dessas. Ele é um cara muito bom, um exemplo”, disse o comerciante.

Odair José Ferreira, de 40 anos, que encontrou carteira com R$ 8 mil e devolveu ao dono — Foto: Arquivo pessoal/Anízio de Faria

Anízio e Odair ficaram surpresos de a carteira ter ficado intacta por tantas horas, já que o local é muito movimentado e não costuma ser muito bem iluminado à noite.

Depois de receber a carteira de volta, o empresário quis recompensar Odair pelo gesto, mas o trabalhador negou.

“Ele perguntou quanto eu queria. Eu falei que não queria nada, jamais passou pela minha cabeça ficar com nada daquilo”, disse o cortador de cana.

O empresário, muito agradecido, insistiu e conseguiu que Odair aceitasse um agradecimento simbólico. “Consegui dar as coisas para ele fazer um churrasco em casa. Foi um gesto de gratidão, mas ele merece muito mais”, concluiu.

Créditos