Governo irá cobrar por SMS cerca de 2,6 milhões de pessoas que devolvam o auxílio emergencial recebido irregularmente

O Governo Federal deve enviar, ainda neste mês de dezembro, um SMS cobrando 2,6 milhões de pessoas que receberam o auxílio e não fazia jus ao benefício. O objetivo é que o dinheiro seja devolvido aos cofres públicos.

Publicidade

O Ministério da Cidadania, gestor do auxílio, estima que o governo poderia reaver R$ 1,57 bilhão se cada um desses beneficiários acionados devolvesse, ao menos, uma parcela de R$ 600.

Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal.

Ao todo, o ministério prevê o envio de 4,8 milhões de mensagens de celular “considerando a possibilidade de precisarmos enviar uma mensagem de reforço para o público que não proceder com a devolução após o recebimento da 1ª SMS”.

<
Publicidade

Como devolver:

Quem recebe o benefício indevidamente, sem se enquadrar nos critérios do governo, pode responder criminalmente pela infração. A medida está prevista no art. 2º da Lei n.º 13.982/2020, segundo o Ministério da Cidadania.

Em maio, o governo federal lançou um site para facilitar a devolução do Auxílio Emergencial: devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br.

Ao acessar o sistema com o CPF, o usuário pode gerar uma Guia de Recolhimento da União (GRU) para ser paga nos canais de atendimento do Banco do Brasil ou em qualquer outro banco.

Publicidade

Créditos