‘Schitt’s Creek’ e outros vencedores do Emmy 2020

A  edição virtual do Emmy, o “Oscar da TV”, mostrou que a criatividade é o melhor remédio contra o distanciamento social. Sozinho no palco, o apresentador Jimmy Kimmel disparou piadas precisas contra os inimigos do mundo: presidente Trump, racismo, coronavírus. Os indicados acompanharam a cerimônia de casa, o que permitiu uma dinâmica bem diferente da sisudez das premiações. Foi bem mais divertido assistir a astros e familiares juntos, celebrando de maneira informal, do que ver os discursos repetitivos das premiações habituais. A série “Schitt’s Creek” foi a grande vencedora e bateu recorde: levou todos os prêmios de comédia. Apesar de concorrentes de peso, como “Segura a Onda” (HBO) e “The Marvelous Mrs. Maisel” (Amazon), a produção canadense exibida aqui pelo canal Comedy Central/NET Now venceu Melhor Série, Ator (Eugene Levy) e Atriz (Catherine O’hara), Ator Coadjuvante (Daniel Levy, filho de Eugene na série e na vida real), e Atriz Coadjuvante (Annie Murphy), Roteiro e Diretor. A série conta a hilariante saga dos Rose, milionários que perdem tudo e são obrigados a se mudar para uma cidadezinha. O comportamento arrogante da família diante da realidade das pessoas normais é, simplesmente, de chorar de rir.

Outro grande vencedor da noite foi “Succession”, série da HBO. As intrigas da família disfuncional dona de um império da mídia levou quatro estatuetas: Melhor Drama, Ator (Jeremy Strong), Direção e Roteiro. Na categoria minissérie, o destaque foi para “Watchmen”, distopia da HBO sobre um massacre racista ocorrido em Tulsa, nos EUA, em 1921.

A produção ganhou quatro prêmios: Melhor Minissérie, Atriz (Regina King), Ator Coadjuvante (Yahya Abdul-Mateen II) e roteiro. O ator Mark Ruffallo conquistou o prêmio de Melhor Ator de Minissérie por “I Know This Much is True” (HBO); a jovem Zendaya levou o de Melhor Atriz de Drama por “Euphoria” (HBO). A melhor diretora de minissérie foi Maria Schrader, de “Nada Ortodoxa” (Netflix).

Créditos: MSN